ICL Notícias

Nara Lacerda – Brasil de Fato

O Brasil continuará enfrentando altas temperaturas pelo menos até o início da próxima semana, com possibilidade de máximas superiores a 42 graus em algumas regiões. Segundo a MetSul meteorologia, existe “alta probabilidade de quebra de recordes”.

“O que os modelos mostram de calor é tão extraordinário e fora da curva histórica, que a onda de calor pode ser a mais intensa já registrada no Brasil em valores de temperatura máxima”, continua o texto divulgado nessa quarta-feira (8).

Mesmo em locais que costumam apresentar tempo quente com mais frequência e intensidade, o clima deve supreender. A MetSul projeta temperaturas máximas “muito fora do comum, com marcas 10ºC a 15ºC acima da climatologia histórica em algumas tardes”.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as altas temperaturas vão afetar principalmente as regiões Centro-Oeste e Sudeste. A faixa amarela que ilustra o mapa de alerta da instituição se estende por São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Mais de mil localidades estão na lista de risco. O Inmet projeta que as temperaturas podem ficar até 5 graus acima da média. O instituto informou que seguirá monitorando a situação ao longo de todo o período.

Representações da defesa civil em diversos estados e municípios divulgaram alertas e cuidados necessários. A população precisa se proteger do sol, beber água e evitar exercícios e esforços, principalmente nas horas mais quentes do dia.

ATÉ DUAS SEMANAS DE SUFOCO

Ainda de acordo com as medições da MetSul, a onda de calor já teve início em regiões de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A partir de sábado (11), ela deve se expandir e alcançar o Distrito Federal, Goiás, São Paulo e Minas Gerais.

Em algumas cidades o fenômeno pode se estender por até quinze dias. O alerta da iniciativa explica que essas regiões poderão presenciar massas de ar quente com temperaturas acima de de 30 graus, o que se assemelha aos registros de algumas das regiões mais quentes do mundo.

Brasil em alerta: calor extremo dos próximos dias pode ser ‘novo normal’

“Valores acima de 30ºC acompanham massas de ar extraordinariamente fortes e que normalmente são vistas durante calor extremo no Sudoeste dos Estados Unidos ou no Oriente Médio”, destacou a MetSul, reforçando que essas condições raramente são registradas no Brasil.

A onda de calor deve superar os dois eventos semelhantes registrados em setembro e outubro, tanto em intensidade quanto em duração. Os dois registros anteriores já apresentavam recordes históricos de mais de 100 anos em algumas capitais, como Belo Horizonte e Cuiabá.

Agora, esses resultados devem ser ultrapassados, assim como a máxima histórica nacional. Até hoje, o registro mais expressivo foi de 44,8°C em Nova Maringá, Mato Grosso, em novembro de 2020. Os modelos da MetSul projetam que o calorão dos próximos dias vai superar essa marca.

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail