ICL Notícias
Cristina Serra

Paraense de Belém, jornalista e escritora. Formou-se em jornalismo na Universidade Federal Fluminense. Trabalhou nos jornais Resistência, Leia Livros, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo, revista Veja e Rede Globo. Tem quatro livros publicados. Atualmente, é comentarista do ICL Notícias.

Democracia de pé é inspiração para o Ano Novo

Lula colheu bons resultados, mas presidencialismo de coalizão parece esgotado
25 de dezembro de 2023

O ano que começou com uma tentativa terrorista de golpe de Estado termina com a democracia de pé e com estabilidade institucional. O Brasil recuperou credibilidade, voltou a ser respeitado e ouvido.

Na economia, temos resultados a comemorar: inflação sob controle, juros em queda (ainda que muito lentamente), emprego e salários em recuperação. O governo Lula conseguiu aprovar uma reforma tributária importante, ainda que insuficiente e de implantação gradual.

Não é pouco diante da terra arrasada deixada pelo bolsonarismo, embora ainda esteja distante do país que sonhamos: menos desigual, sem fome, onde a ascensão social seja possível e os filhos da periferia possam realizar sonhos.

Sim, temos um Congresso vorazmente fisiológico, com predomínio da direita e inédita força da extrema direita, disposto a esticar a corda no embate com os demais poderes. O modelo do chamado presidencialismo de coalizão parece esgotado. Teremos que inventar algum outro arranjo político.

Cada coisa a seu tempo. Foi um ano bom, que reforça minha crença de que o Brasil é um país vocacionado para a democracia e a inclusão, apesar de toda a violência no nosso processo de formação. Escrevo com plena consciência das dificuldades que temos à frente, mas também com a certeza sobre nossas capacidades.

Somos um país solidário e generoso. Por isso, na minha última coluna do ano, quero celebrar com os leitores que me acompanham neste espaço. Ofereço a vocês os meus “quereres” de ano novo neste poeminha improvisado, desejando que sejam uma inspiração.

“Em 2024, quero errar, quero acertar, tentar, experimentar. Quero ouvir mais Chico e Tom, reler Vinicius, Drummond. Quero vento no cabelo, cheiro de mato, manhãs. Pé na estrada, quero mar, banho de chuva, chuveiro, mangueira e também de rio. Quero um céu cheio de estrelas, quero ler, quero escrever, falar menos, escutar mais, menos barulho, silêncio.

Encontrar mais os amigos, os novos e os antigos; ganhar livros de presente, ter tempo de ler um por um. Comer muito doce de leite e queijo com goiabada. Quero um batuque no peito, coração arrebatado, quero cantar e dançar, voar na ponta dos pés.

Quero cruzar Gibraltar, quero um trem pra Marrakech, quero ir na esquina do mundo, quero o assovio do vento e o sopro dos continentes. Quero democracia pra todos, cada vez mais e melhor. Quero terra e quero água. Quero bênção, quero axé e o Círio de Nazaré. Quero o começo, a origem, quero o caminho e o fim.”

Feliz Ano Novo!

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail