ICL Notícias

O Ministro dos Esportes, André Fufuca (PP), nomeou o ex-jogador bolsonarista Washington Coração Valente para liderar a Autoridade Pública de Governança do Futebol (Apfut), órgão responsável por julgar irregularidades no meio esportivo.

O convite foi feito por Fufuca em dezembro do ano passado, durante um encontro em Brasília, mas a nomeação foi oficializada apenas recentemente no Diário Oficial da União (DOU), após a exoneração de Coração Valente da Secretaria de Esporte e Lazer de Sergipe.

Criada durante o governo de Dilma Rousseff (PT), a Apfut supervisiona os gastos das equipes, o investimento no futebol feminino e aplicava penalidades aos clubes vinculados ao Programa de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut).

Desde que assumiu a pasta, Fufuca tem nomeado figuras ligadas à gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Um deles foi o secretário-executivo Antonio Paulo Vogel — ex-braço-direito de Abraham Weintraub, da Educação.

A escolha de Fufuca: ex-jogador vai liderar a Autoridade Pública de Governança do Futebol (Apfut). Foto: Reprodução

Fufuca escolhe Coração Valente

O ex-jogador Washington Coração Valente, filiado ao PP e próximo ao ministro dos Esportes, concorreu a uma vaga como deputado federal por Sergipe, mas recebeu 14 mil votos e não foi eleito.

Durante o governo Bolsonaro, Coração Valente ocupou brevemente o cargo de secretário nacional de Esporte e Lazer antes de ser convidado para integrar a diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Anteriormente, entre novembro de 2018 e abril de 2019, ele ocupou uma cadeira na Câmara dos Deputados em substituição a Onyx Lorenzoni, que fora convocado para a equipe de transição do ex-presidente.

Como jogador, Coração Valente teve uma trajetória de sucesso pelo Fluminense, clube do qual o ministro dos Esportes é torcedor, conquistando o Campeonato Brasileiro em 2010 e sendo vice-campeão da Libertadores em 2008.

A presidência da Autoridade Pública de Governança do Futebol (Apfut), para a qual Coração Valente foi escolhido, estava vaga desde o início do governo Lula, quando o advogado Marcelo Contini foi exonerado. O PDT chegou a indicar Ricardo Gomyde para o cargo, porém a articulação não teve seguimento.

Questionado sobre as críticas à sua relação com o governo Bolsonaro, Coração Valente respondeu ao Carta Capital que as vê com “normalidade” e reforçou o compromisso com “às políticas públicas no esporte, uma área muito importante para o Brasil. Vamos manter a mesma honestidade e transparência na condução dos trabalhos [na Apfut]”, afirmou o ex-jogador.

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail