ICL Notícias

Justiça determina retirada de programa da TV Record do ar por ‘teor homofóbico’

A decisão é fruto de ação protocolada por movimentos que lutam em defesa da população LGBT+ contra falas ofensivas proferidas pelo dono da emissora, Edir Macedo
30 de novembro de 2023

A Justiça Federal determinou a retirada imediata de vídeo veiculado pela TV Record, em dezembro de 2022, considerado homofóbico e preconceituoso. A decisão é fruto de ação protocolada por movimentos que lutam em defesa da população LGBT+ contra falas ofensivas proferidas pelo dono da emissora, Edir Macedo.

A Justiça determina, ainda, a retirada do conteúdo ofensivo em até 24 horas, a contar da intimação da decisão. O programa televisivo foi apresentado por Edir Macedo, na TV Record, na véspera do Natal do ano passado.

No programa, Edir fez comparações das pessoas homossexuais a bandidos. Em um dos trechos, Macedo afirmou que “ninguém nasce mau, ninguém nasce ladrão, ninguém homossexual ou lésbica”. Em seguida, destacou que “todo mundo nasce perfeito com a sua inocência, porém o mundo faz das pessoas aquilo que elas são quando elas aderem ao mundo”.

“Trata-se de discurso de ódio, que desafia as garantias constitucionais e é repudiado por nosso sistema jurídico, devendo ser combatido por todos os meios”, aponta a decisão da 10ª Vara Federal de Porto Alegre.

A Justiça também concordou com a indenização de R$ 10 milhões, por danos morais, aos autores da ação contra Edir Macedo e a TV Record.

 

 

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail