ICL Notícias

Ministério das Minas e Energia: resolução não vai aumentar preço das geladeiras

Medida visa aumentar eficiência energética dos refrigeradores em 17% e garantir economia na conta de luz
20 de dezembro de 2023

O Ministério de Minas e Energia (MME) informa que a resolução que criou o novo Programa de Metas para Refrigeradores e Congeladores não vai acarretar no aumento do preço das geladeiras vendidas no Brasil.

Segundo a pasta, a medida visa aumentar a eficiência energética em 17%, com o objetivo economizar eletricidade. Conforme o MME, uso de equipamentos mais eficientes será significativa principalmente para o bolso dos consumidores de baixa renda.

O Ministério informa que a norma não retira nenhum equipamento de circulação até 2026, tempo suficiente para adaptação da indústria. A pasta acrescenta que do total de 25 modelos de refrigerador de uma porta, 17 atendem às normas.

“Esse tipo de economia é relevante, tendo em vista que 39% das despesas domésticas mensais são com eletricidade, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando famílias de baixa renda. E a geladeira é o item mais representativo no consumo”, informou o MME.

Para a Rede Kigali, que reúne organizações da sociedade civil com o propósito de promover a eficiência energética, os novos parâmetros vão proporcionar economia de energia de 8,67 Terawatt-hora (TWh) entre 2026 e 2030, o que equivaleria a 67% do consumo mensal das residências brasileiras em 2023.

A mudança nos níveis máximos de consumo de energia acontecerá em duas fases, justamente para a indústria ter tempo de se adaptar. Segundo estimativas e comparações internacionais consultadas pela Rede Kigali, não há uma explicação plausível para qualquer aumento significativo de preço.

Na segunda fase dos novos níveis máximos de consumo de energia, no início de 2026, 38% dos produtos no mercado poderão ser mantidos como estão. Segundo estimativas da Clasp – organização que dá assistência técnica a governos que buscam aprimorar a eficiência técnica e ambiental dos eletrodomésticos –, se houver aumento de preço devido à melhoria da eficiência a partir de 2026, será pequeno: entre R$ 86,00 e R$ 200,00, dependendo do modelo e tamanho do refrigerador. E será totalmente compensado pela economia de energia do consumidor, estimada em R$ 822,00 em 15 anos de uso, já descontado o valor a mais pago pela geladeira.

 

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail