ICL Notícias
Vivian Mesquita

Apresentadora, Repórter e Editora Chefe Executiva com passagens pela Editora Abril, Rede Globo e Canais ESPN Disney. Especialista em esportes de ação em mercado mundial. Profissional com formação consolidada na área de mídia e conteúdo esportivo, com mais de 20 anos de experiência em TV. Relacionamento sólido com a comunidade criativa local, produtoras, talentos, atletas, marcas e mídia. Habilidades em gestão de equipes, processos organizacionais e comunicação. Apresentadora do ICL Notícias - 1ª Edição.

No primeiro sinal, saia!

Os sinais estão lá e a gente não pode fechar os olhos
7 de dezembro de 2023

Voltou a circular na internet esta semana, um vídeo do fundador da Alfacon Concursos Públicos, Evandro Guedes. Nele, o ex-PM ensina aos alunos como violar sexualmente mulheres mortas, como estuprar corpos sem vida! A cena é nojenta e doentia. Ele narra um crime, em detalhes e com orgulho, como se aquilo fosse algo absolutamente aceitável, divertido e prazeroso. No domingo (3), na zona norte de São Paulo, um policial agrediu com socos e disparou tiros à queima-roupa em sua esposa no meio da rua. Ele executou a própria mulher.

O que esses dois casos têm em comum, além do desprezo pela mulher e pela vida humana é a violência, e ela dá sinais. Evandro Guedes, depois da repercussão nas redes, em um post “quem me conhece sabe”, marcou a esposa – uma clara tentativa de “limpar a barra” do “homem de família”. Conversando e refletindo com uma amiga, fizemos uma lista infinita de casos pessoais, e de outros que conhecemos de mulheres próximas, sobre como nós ignoramos ou não conseguimos enxergar os sinais de violência em nossas relações.

Todo abusador dá sinais. O cara é um namorado muito ciumento e possessivo, te compara repetidas vezes com outras mulheres com a intenção de diminuir.  Ele xinga, chama de burra, louca, mente! Desvaloriza o trabalho, o cuidado com a casa e os filhos. Ignora o prazer feminino. Grita, não ouve, exige, demanda, cobra e jamais agradece.

A violência e o abuso acontecem também no ambiente de trabalho disfarçado de simpatia. Sabe aquele chefe “querido”, mas que rouba suas ideias, aceita crédito pelo trabalho que você realizou e que sempre tem um “mas” para “contribuir” no seu projeto? E os comentários inadequados sobre a sua idade, roupas, esmalte, maquiagem e humor? Ele corta, interrompe sua fala e quando você finalmente consegue a palavra, o chefe tá no celular.

Quem aqui já se viu em uma ou mais dessas situações? Eu dei check em todas, juro!

A minha geração cresceu com orgulho da frase “atrás de um grande homem sempre há uma grande mulher” (sic). O caso é que os tempos mudaram e a gente já não aceita mais esse papel. A mulher se reconhece protagonista da própria história, mas alguns homens ainda estão beeeem lá atrás, quase no período pré-histórico emocional e daí eles não aguentam e partem pra força física, pro jogo psicológico, pra destruição da alma, mas todos eles dão sinais.

Meninas, eu hoje só queria pedir para que vocês fiquem atentas aos sinais. Muitas vezes não é um soco, um tiro ou uma aula pública sobre como estuprar mulheres mortas, mas os sinais estão lá e a gente não pode fechar os olhos.

No primeiro sinal, saia!

 

 

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail