ICL Notícias

Hospital próximo a mina da Braskem, em Maceió, é esvaziado por risco de afundar

O hospital fica em um bairro vizinho ao Mutange, um dos desocupados por causa do risco
30 de novembro de 2023

O Hospital Sanatório, no bairro Pinheiro, em Maceió, foi esvaziado porque corre o risco de o terreno onde está afundar. A unidade de sáude fica em um bairro vizinho a uma antiga mina da Braskem na cidade, e cuja caverna pode colapsar.

A região onde está a antiga mina se chama Mutange, e é uma das zonas de Maceió desocupadas por conta do risco de desmoronamento das escavações. A operação para retirar os pacientes foi iniciada na noite da última quarta-feira (29).

No mesmo dia, a Defesa Civil de Maceió alertou para o “risco iminente de colapso em uma das minas monitoradas” pelo órgão. De acordo com o comunicado, o colapso da estrutura poderia provocar o surgimento de uma “imensa cratera no Mutange”.

No dia anterior, já se havia recomendado que a circulação de pessoas e de embarcações fosse restringida na região.

Em nota ao portal g1, a direção do Hospital disse que adotou a “medida de segurança, precaução e prevenção de desastres” devido a uma possível repercussão na área onde está localizado o hospital.

A Secretaria de Saúde de Maceió, além de determinar a retirada de todos os pacientes do hospital, suspendeu o ponto facultativo das Unidades Básicas de Saúde, em virtude do Dia do Evangélico.

Segundo a secretaria, também foi reforçado o atendimento e profissionais foram convocados para agir em caso de risco.

Risco de colapso

Nesta quarta, foi identificado o risco de colapso da Mina 18 da Braskem, no Mutange. Moradores da região receberam o seguinte aviso por SMS: “risco de colapso na região desocupada próxima ao antigo campo do CSA. Se estiver na área, procure um local seguro”.

Este mês, a região registrou cinco abalos sísmicos. Com isso, o monitoramento na área foi reforçado.

Além de Pinheiro e Mutange, também são afetados pelo afundamento os bairros Bebedouro, Bom Parto e Farol. A situação fez a prefeitura decretar estado de emergência por 180 dias. O governo estadual também pode tomar uma medida semelhante.

Entenda o caso

A Braskem teve em Maceió 35 poços de extração de sal-gema, material usado para produzir PVC e soda cáustica.

A exploração do minério começou em 1979 e se manteve até maio de 2019, quando foi suspensa um dia após a divulgação de laudo pelo Serviço Geológico apontando riscos nas escavações.

Recentemente, a jornalista Heloisa Vilela, do ICL, fez uma série de reportagens sobre a ação da mineradora Braskem em Maceió:

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail