ICL Notícias

PF descobre decisões falsas contra Moraes no celular de Walter Delgatti

Relatório apresenta detalhes do caso de invasão ao sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Hacker foi indiciado
2 de março de 2024

A Polícia Federal (PF) encontrou no celular do hacker Walter Delgatti Neto decisões falsas de quebra de sigilo bancário e bloqueio de R$ 22 milhões das contas do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Também foi descoberto um falso mandado de prisão — este, por sinal, deu início às investigações da corporação.

De acordo com a CNN Brasil, a identificação dos documentos ocorreu durante as investigações feitas pelo setor de inteligência da PF. “Constam falsas ordens de afastamento de sigilo bancário e de bloqueio de valores contra o magistrado”, diz trecho do relatório da corporação, de 1.521 páginas.

“Há também uma ordem de afastamento de sigilo bancário em desfavor do ministro, assinada pelo mesmo Adolfo Majado Filho. O arquivo nomeado como “xandao.pdf” determina o afastamento do sigilo de contas do magistrado no período de 31/10/2018 a 31/10/2022”, detalha a PF.

PF: falsa ordem judicial

Segundo o inquérito, a falsa ordem judicial foi gerada, conforme consta em seu teor, no dia 4/1/2023, às 22h22. O relatório mostra ainda que o metadado do arquivo, encontrado no material de Walter, aponta que sua criação ocorreu no mesmo dia às 22:22:59h.

As decisões de bloqueio de contas não foram inseridas no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mas constam na análise do material apreendido durante buscas.

Zambelli

Walter Delgatti Neto e Carla Zambelli foram indiciados pela PF por suspeita de invasões ao site do CNJ. Foto: Reprodução Redes Sociais)

Indiciamento

Na última quinta-feira (29), a Polícia Federal indiciou a deputada federal Carla Zambelli (PL–SP) e o hacker por suspeita de invasões ao site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A dupla também foi indiciada por falsidade ideológica.

De acordo com as investigações, Zambelli teria cometido quatro vezes o crime de invasão de dispositivo informático qualificado. Já o hacker teria invadido o sistema do CNJ 22 vezes. Nas ocasiões, teriam sido inseridos documentos falsos no sistema do Judiciário.

Defesas

Segundo a CNN Brasil, a defesa de Delgatti informou que não se surpreende com o indiciamento, “pois, desde sua prisão, Walter confessa sua participação na invasão da plataforma do CNJ”.

“O indiciamento de Carla Zambelli confirma que Walter, a todo momento, colaborou com a justiça, levando a PF até a mandante e financiadora dos atos perpetrados por ele”, disse o advogado Ariovaldo Moreira.

Já o advogado da deputada Carla Zambelli, Daniel Bialski, enviou nota em que “reforça que ela [deputada] jamais fez qualquer tipo de pedido para que Walter Delgatti procedesse invasões a sistemas ou praticasse qualquer ilicitude”.

 

 

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail