ICL Notícias

Saiba mais sobre a Braskem, a empresa que causou o afundamento em Maceió

Conheça dealhes da sexta maior fabricante de produtos químicos do mundo, que desabrigou mais de 55 mil pessoas na capital alagoana
5 de dezembro de 2023

A Braskem, apontada como a responsável pela catástrofe ambiental e social que atinge Maceió (AL), é uma gigante no setor que atua, com representações em três continentes. Mas é no Brasil que companhia deixa um rastro de destruição mais evidente: desde 2019, mais de 55 mil pessoas perderam as casas na capital alagoana devido à atividade mineradora da Braskem, que está causando o afundamento de vários bairros.

O que é a Braskem?

A companhia é a sexta maior fabricante de produtos químicos do mundo, com mais de oito mil funcionários distribuídos por 11 países, 14 escritórios e 40 unidades industriais.

Quando foi criada?

A Braskem foi criada em agosto de 2002 com a integração de seis empresas da antiga Organização Odebrecht — Copene, OPP, Trikem, Proppet, Nitrocarbono e Polialden — e do Grupo Mariani. No mesmo ano, a mineradora teve ações listadas nas Bolsas de Valores de São Paulo (Bovespa) e de Nova York (Nyse).

A família Mariani tem como patrono Clemente Mariani, empresário e político baiano, que morreu em 1981. Os herdeiros ampliaram o poderio de suas empresas investindo em bancos, imóveis e também no setor petroquímico. Em Salvador, a área mais valiosa pertence a eles. Fica na ladeira da Barra e abrange alguns bairros. O valor da área é considerado incalculável.

Já o grupo Odebrecht nasceu de uma empresa de engenharia e construção civil fundada pelo engenheiro pernambucano Norberto Odebrecht, no ano de 1944, em Salvador. Tornou-se uma gigante do setor, impulsionada por obras que recebeu na ditadura militar. Sofreu um grande golpe com as investigações da Operação Lava Jato, que a obrigaram a desembolsar gordas quantias por idenização de corrupção. Ainda assim, continua sendo uma marca de peso.

Em 2010, a mineradora Braskem se torna uma gigante global, com a incorporação de ativos petroquímicos da Petrobras e do grupo Ultra.

Quem dirige a Braskem?

Atualmente, o comando da companhia está nas mãos do diretor-presidente (CEO) Roberto Bischoff (foto), um engenheiro mecânico que trabalha na companhia desde sua criação (passou apenas um ano na Ipiranga Petroquímica).

Ações

A Braskem tem 278 milhões de ações, entre ordinárias e preferenciais. A NSP Investimentos, ligada à antiga Odebrecht, detém 38% das ações. A Petrobras têm outros 36%. Outros investidores somam 16% e o Norges Bank possui 2%. As Adrs, que representam os papéis da companhia no exterior, somam 7% das ações da Braskem.

Presença no mundo

A Braskem tem unidades industriais no Brasil, Estados Unidos, Alemanha e México. A mineradora é líder na produção de resinas termoplásticas – Polietileno (PE), Polipropileno (PP) e Policloreto de Vinila (PVC) – nas Américas e considerada a sexta maior petroquímica do mundo.

A empresa é líder mundial em biopolímeros de PE a partir de matéria-prima renovável e é a maior produtora de PP na América do Norte e líder na produção de PE no México.

No total, são oito mil funcionários e 40 unidades industriais, além de 14 escritórios comerciais e seis centros de inovação.

Ativos

A Braskem tem declarados mais de R$ 92 bilhões em ativos.

Capital social

Em 31 de dezembro de 2022, o capital social subscrito e integralizado da companhia é de mais de R$ 8 bilhões (8.043.222).

Problemas com a Justiça

Em 31 de dezembro de 2022, a Braskem havia sido citada e figurava como ré em diversas ações, que, conjuntamente, somam R$ 1 bilhão – em 2021: R$ 895 milhões. São processos abertos no Brasil e no exterior, que buscam o pagamento de indenizações direta ou indiretamente relacionadas ao evento geológico em Maceió.

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail