ICL Notícias
Cristina Serra

Paraense de Belém, jornalista e escritora. Formou-se em jornalismo na Universidade Federal Fluminense. Trabalhou nos jornais Resistência, Leia Livros, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo, revista Veja e Rede Globo. Tem quatro livros publicados. Atualmente, é comentarista do ICL Notícias.

Flávio Dino, o homem certo, no lugar certo, na hora certa

Sua maior credencial é seu compromisso inabalável com a democracia
29 de novembro de 2023

Poucos homens públicos têm uma trajetória tão consistente e coerente quanto a de Flávio Dino, atual ministro da Justiça e indicado pelo presidente Lula para o Supremo Tribunal Federal. A indicação ainda precisa passar pelo crivo do Senado e sua sabatina está prevista para o próximo 13 de dezembro.

É muito simbólico que a sabatina de Dino ocorra em uma data que ainda assombra os brasileiros. Foi num 13 de dezembro, 55 anos atrás, que o general Costa e Silva editou o famigerado Ato Institucional no. 5, o AI-5, que radicalizou a repressão, tortura e assassinatos de opositores do regime, cassou mandatos de parlamentares e de três ministros do STF. A coincidência de datas não pode passar em branco, considerando os fatos mais recentes desde a eleição de Lula para seu terceiro mandato e a firme atuação de Flávio Dino em defesa da democracia neste país.

No primeiro ensaio terrorista a que assistimos, na noite de 12 de dezembro do ano passado, dia da diplomação de Lula no TSE, baderneiros golpistas incendiaram carros em Brasília e tentaram invadir a sede da Polícia Federal. As autoridades locais e federais permaneceram inertes. Dino, já ministro da Justiça indicado por Lula, tomou a iniciativa de se dirigir ao país, por meio da imprensa, para acalmar a sociedade e informar sobre as providências tomadas.

Naquele momento, Dino disse a que veio, mostrando-se como um dos combatentes mais firmes pela democracia, com atuação decisiva no domingo infame, em 8 de janeiro, quando a violência golpista resultou na depredação das sedes dos três poderes da República. Foi o maior ataque às instituições democráticas no Brasil, como nunca se havia visto desde o fim da ditadura.

Dino chegará ao STF (assim espero) no momento em que a corte transformou-se no maior dique de contenção do golpismo e do projeto fascista no Brasil. Suas maiores credenciais são a defesa da democracia, do pacto constitucional de 1988 e do Estado democrático de Direito.

Mas a trajetória de Dino na vida pública vai além. Juiz federal de carreira, deputado federal, governador do Maranhão por dois mandatos seguidos e eleito senador em 2022. Quando eleito em 2014, pelo PC do B (hoje está no PSB), para o primeiro mandato de governador, conseguiu a façanha de derrotar o clã Sarney, repetindo a dose em 2018.

Durante a pandemia, enquanto Bolsonaro empurrava cloroquina goela abaixo dos brasileiros e mandava a população ir às ruas, como quem manda gado para o matadouro, Dino comandou uma operação cinematográfica para importar respiradores da China. A saga está contada no livro “Operação Secreta Etiópia-Maranhão”, de Wagner William (editora Vestígio). A operação desviou-se das rotas tradicionais de importação. Passou pela África para chegar ao Brasil e garantir a entrega dos equipamentos hospitalares mais procurados do mundo naquele momento. Tudo foi feito em sigilo porque o governo federal, se soubesse, sabotaria a importação.

Diferentemente de quem se acha elite intelectual no país e classifica notório saber apenas pela quantidade de livros ou teses que alguém escreveu, Dino tem a vantagem de conciliar saber jurídico com o conhecimento do que é o Brasil, nossa construção oligárquica e hierarquizada em camadas sobre camadas de privilégios. Dino fala português e não “juridiquês”. Construiu perfil de estadista, mas seu retorno à magistratura fará bem ao país. É o homem certo, no lugar certo e na hora certa neste momento de tantas incertezas no Brasil.

Por fim, uma nota de caráter pessoal. Flávio Dino conheceu a dor mais dilacerante que um pai pode sentir. Em fevereiro de 2012, perdeu o filho, Marcelo, aos 13 anos, durante internação para tratar uma crise de asma. Esteja onde estiver, Marcelo deve estar sentindo imenso orgulho do pai.

Deixe um comentário

Mais Lidas

Assine nossa newsletter
Receba nossos informativos diretamente em seu e-mail